terça-feira, 21 de setembro de 2010

Sistema CAGED (Sistema 5)

O sistema CAGED (Dó, Lá, Sol, Mi e Ré) mostra que existem várias formas de se montar um acorde, com os shapes dos acordes de C, A, G, E e D em qualquer tom, deste modo, trabalhando com as mesmas notas em diferentes partes do braço do instrumento, facilitando também a memorização das notas, escalas, arpejos e acordes.

Acorde de C (Dó)






Acorde de A (Lá)






Acorde de G (Sol)






Acorde de E (Mi)






Acorde de D (Ré)








Essas são os cinco shapes básicos de acordes de violão/guitarra, veja como ficaria o acorde de C dentro de cada shape do sistema CAGED

Acorde de C (Dó)






Acorde de C (Dó) com o shape do acorde de A (Lá)






Acorde de C (Dó) com o shape do acorde de G (Sol)
Um acorde com o shape de Sol é difícil de ser executado, um modo de utilizar esse shape de forma mais fácil é ignorar a corda Mi aguda que deveria ser tocada com o dedo mínimo (4) pressionando a corda.







Acorde de C (Dó) com o shape do acorde de E (Mi)






Acorde de C (Dó) com o shape do acorde de D (Ré)







Assim como também se pode tocar acordes com o shape de C (Dó), escolhendo se você repete a terça do acorde (No caso, a nota A), deste modo, fazendo uma pestana, ou se toca apenas a tônica, 3ª, 5ª e 8ª (No caso do acorde de F: F, A, C e F), dispensando assim o uso da pestana.

Acorde de F (Fá) com o shape de C (Dó)





Como puderam ver, com o modo CAGED, os acordes de C, nada mais são do que os acordes de A, G, E e D em posições diferentes, neste caso, com a nota Dó na tônica (O "baixo" do acorde), formando assim, um acorde de Dó.
Reparem também que os acordes de F (Fá) e B (Si), não passam de acordes nos shapes de E e A em posições diferentes, fazendo assim, parte do sistema CAGED.

Acorde de F (Fá)






Acorde de B (Si)







Agora confira uma pequena aula explicando esse método (Inglês):
CAGED System for Guitar (Part-1)


CAGED System for Guitar (Part-2)


Espero que este post tenha sido de ajuda, até a próxima!

sábado, 18 de setembro de 2010

Morte de Jimi Hendrix completa 40 anos

Quem nunca ouviu falar de Jimi Hendrix? O guitarrista que já foi eleito por inúmeras vezes o melhor guitarrista do mundo, que já tocou no Woodstock de 1969, tacando fogo em sua guitarra e influenciando gerações de guitarristas até hoje no mundo todo.
Jimi Hendrix faleceu há exatamente 40 anos neste sábado, no dia 18 de setembro de 1970, em circunstâncias que nunca foram completamente explicadas, a morte de Jimi ainda continua cheia de mistérios.
Havia passado parte da noite anterior numa festa, onde a namorada Monika Dannemann o havia buscado, e ambos seguiram para o Hotel Samarkand, no número 22 da Lansdowne Crescent, em Notting Hill. Estimativas indicam que ele teria morrido pouco tempo depois.
Dannemann alegou em seu depoimento original que Hendrix teria tomado (sem que ela soubesse), na noite anterior, nove comprimidos de um remédio para dormir que ela utilizava, bebendo vinho a seguir. De acordo com o médico que o atendeu inicialmente, Hendrix tinha se asfixiado (literalmente afogado) em seu próprio vômito, composto principalmente de vinho tinto.


Por anos Dannemann alegou publicamente que Hendrix ainda estava vivo quando o colocaram na ambulância, e que os empresários de Hendrix, Gerry Stickels e Eric Barrett estiveram no quarto antes da chegada da ambulância e levaram alguns pertences do músico, incluindo algumas anotações feitas por Hendrix; Os comentários de Dannemann sobre aquela manhã, no entanto, foram frequentemente contraditórios, e variaram de entrevista para entrevista.
Declarações de policiais e paramédicos revelam que não havia ninguém além de Hendrix no apartamento, e que não apenas ele estava morto quando chegaram à cena, mas também estava totalmente vestido, e já estava morto há algum tempo.

As letras de uma canção composta por Hendrix e encontradas no apartamento levaram Eric Burdon a fazer um anúncio prematuro no programa 24 Hours, da BBC, de que Hendrix teria cometido suicídio. Depois de um processo por difamação movido em 1996 pela namorada inglesa de Hendrix por anos, Kathy Etchingham, Monika Dannemann cometeu suicídio - embora seu último amante, Uli Jon Roth, tenha feito acusações de que ela teria sido assassinada.
Em 2009, o ex-roadie James “Tappy” Wright publicou o livro "Rock roadie" onde afirmava que Michael Jeffrey, ex-empresário de Hendrix, teria assassinado o músico.

Vamos ficar com algumas músicas de Hendrix em sua memória.






quarta-feira, 15 de setembro de 2010

Tocador de régua

Não sabe tocar violão? Não tem dinheiro pra comprar uma guitarra? Já imaginou tocar uma régua?
Pois é isso mesmo que o cara do vídeo pensou, utilizando uma régua de metal ele toca Canon Rock (Canon in D de Pachebel).

Confira o vídeo:


Convide seu vizinho, use as panelas da sua mãe como bateria e você já tem uma banda!
Ah, se a moda pega...

sexta-feira, 10 de setembro de 2010

Hamsters compositores

Sim, você não leu errado! Este projeto foi inicialmente fundado com o intuito de explorar o protocolo MIDI, decidindo então que isso seria possível criando um dispositivo MIDI específico.
Levy Lorenzo, o criador do projeto queria fazer algo nunca feito antes, mas para balancear a idéia maluca, também queria fazer algo que fosse de grande musicalidade.
depois de muita consideração em diferentes designs técnicos e idéias musicais, Lorenzo foi capaz de criar o projeto que realizaria seus objetivos musicais e de engenharia, um sequenciador MIDI inteligente foi desenvolvido para ser controlado por hamsters.


Esse sequenciador produz melodias manipulando elementos musicais de ritmos e escolha de notas, guiado por informações baseadas nos movimentos dos hamsters.
Foram utilizadas cadeias de Markov para computar as batidas e  as notas. O sistema suporta 3 vozes simultâneas, gerando 3 oitavas diferentes com 3 pistas de ritmo.
Cada voz é controlada por 2 hamsters: Um modificando a qualidade rítmica da melodia, e outro modificando a sequência das notas. Com todos esses elementos combinados, é produzido uma canção de qualidade muito musical, tratando-se de "composições" feitas por hamsters.



O feito é realizado utilizando um microcontrolador Atmel Mega32, sensores de distância, um controlador MIDI desenvolvido especialmente para hamsters e 6 hamsters, dois para cada pista de áudio.

Se até mesmo hamster podem compor canções, veja que qualquer um pode! (Se bem que tem muitos por aí que não conseguem nem metade do que esses hamsters são capazes... Vide funk carioca e similares)
Espero que tenham curtido, até mais!

Fonte: http://instruct1.cit.cornell.edu/courses/eceprojectsland/STUDENTPROJ/2002to2003/lil2/

quarta-feira, 8 de setembro de 2010

Mouse DS-1 - O mouse de distorção da Boss

Você acha seu mouse sem graça e parecido com um rato? A Roland lançou esse pedal mouse com o formato do pedal Boss DS-1 de distorção. O pedal mouse vem em uma caixa igual a do pedal original, seu tamanho é quase idêntico ao pedal DS-1 da Boss, assim como seu design.
O pedal mouse possui os 3 knobs idênticos aos pedais, e um led vermelho que fica aceso quando o pedal mouse estiver conectado.
Mas tanta fidelidade fez com que o pedal mouse deixasse de ser ergonômico, tente pegar seu pedal da Boss e segurá-lo como um mouse, não deve ser muito confortável...



Mas se você possui um estúdio e quer deixar o computador com uma cara mais musical, por £29,99 você leva essa belezinha pra casa!

segunda-feira, 6 de setembro de 2010

Chicken Picking - A palhetada da galinha

Chicken picking (Também conhecido como Hybrid picking, ou "Palhetada híbrida") não é simplesmente ensinar sua galinha de estimação a palhetar as cordas do instrumento, esta técnica muito utilizada no Country consiste em utilizar os dedos da mão direita juntamente com uma palheta para se tocar uma música.
Geralmente utilizada junto com uma Telecaster com som limpo, a técnica pode e deve ser feita com o uso de poppings, dando um som mais percussivo ás notas, a palhetada deve ser executada sempre para baixo, e os dedos devem dedilhar para  cima (Duh!). Quando for uma frase rápida, o dedo médio fará o papel da palhetada para cima.
Tal técnica também pode ser feita com o uso de palhetas de polegar, liberando assim o uso do dedo indicador para dedilhar as notas.

O uso dessa técnica possui algumas características:
  • Timbre: A palheta proporciona um timbre diferente dos dedos na hora da execução das notas, e isso é notado quando uma pessoa utiliza Chicken picking.
  • Execução: No Country, diversos licks (Frases melódicas) possuem salto de corda, e o Chicken picking facilita a execução desses licks.

Confira algumas dicas e video-aulas sobre a técnica Chicken picking:






Zakk Wylde - Chicken picking lesson


Bonus!

Zaak Wylde - Farm fiddlin


Você não ficará preso somente ao Country para utilizar esta técnica, ela pode ser utilizada para se tocar desde música clássica até o metal.

Espero que tenham curtido o post, nos vemos da próxima!

sábado, 4 de setembro de 2010

Eleições 2010 - Paródias musicais

Eu sempre me recusei a votar por achar as eleições uma piada, que deveria ser levada a sério mas infelizmente não é. Já chegaram a me dizer que eu precisava levar política mais a sério, mas a cada eleição aparecem mais candidatos excêntricos (Pra não dizer "toscos"), vão desde ex-BBB's desesperados por atenção, cantores falidos procurando brecha para aparecer, popozudas do funk querendo mostrar o popô de fruta em Brasília, jogadores de futebol aposentados, o primo do leiteiro do amigo da vizinha e humoristas tirando com a nossa cara.
Será que sou eu mesmo que não levo eleições a sério?
Vamos conferir alguns candidatos e as maravilhosas músicas de suas propagandas!

Lindolfo Pires (Faustão) - "Michael Jackson, Beat it cover"


Claudir Maciel - "Queen, I want to break free cover"


Antônio Luis - "Queen, I want to break free cover"

Pô, Não bastasse um, mas são dois candidatos usando a música do Queen!
Aposto que se ainda estivesse vivo, Freddie Mercury iria se suicidar ao escutar essas pérolas.
Coitado dele...

Vaccarezza (Macarezza)- "Los del Rio, Macarena cover"

O mais engraçado na propaganda do candidato Vaccarezza, é saber que ele leva a música totalmente a sério, dizendo não ser engraçada, e que deve ser levada totalmente a sério! hahahahaha

Vaccarezza - "Rebolation cover"


Edivaldo Gomes - "Rebolation cover"

Mas não há somente músicas que fazem seus autores querer se suicidar,
como você viu também têm as que fazem a gente querer se matar também!

Tubias Calil - "Black Eyed Peas, I gotta feeling cover"


Jorge Pozzobom - "Xuxa cover" (Hã?)


Tiririca - "Florentina cover"

Esse pelo menos fez "cover de música própria"!

Continuando...
Edmar de Oliveira - "Tihuana, Tropa de elite cover"


Gustavo Herrmann - "Victor & Léo, Borboletas cover"


Vicente André Gomes - "Djavú cover"


Lagoinha - "Falamansa cover"


Sem comentários...

quinta-feira, 2 de setembro de 2010

Games e Trilhas sonoras (Parte-2) - Midi e VSTi's

Antigamente, os jogos vinham em cartuchos de pouca capacidade de armazenamento, eram poucos MBs para um jogo inteiro, o que incui gráficos e trilha sonoras, obrigando uma maior economia de espaço, por isso as músicas de games antigos eram feitos em Midi (Musical Instrument Digital Interface), o que em geral, deixava as trilhas muito "digitais", muito fácil de perceber em games da era 8 e 16 bits.


Hoje os jogos são armazenados em DVDs, HD-DVDs e Blu-Rays de vários GBs de armazenamento, e com o avanço da tecnologia temos gráficos cada vez mais realistas e trilhas sonoras dignas de cinema, muitas vezes orquestradas.


Vemos então que hoje não temos mais necessidade para uso de Mids.
Porém, nem sempre o compositor poderá ter acesso a um bom estúdio e músicos profissionais para gravar algo de qualidade. Então entra o VSTi (Virtual Studio Technology Instrument).
VSTi's são Plugins de "Instrumentos virtuais" que dá ao Midi uma roupagem nova, podendo simular bateria, baixo, instrumentos de orquestra e até mesmo vozes.
Temos VSTi's pagos e Freewares, e muitos conseguem simular com bastante realismo o instrumento de sua escolha. Veja no vídeo a seguir uma música criada somente com o uso de VSTi:


Para utilizar um instrumento virtual, primeiramente precisamos sequenciar o midi, usamos para isso programas como o Cakewalk Sonar e até mesmo o Guitar Pro.
Depois de sequenciado, aplicamos o VSTi para dar ao midi o timbre que buscamos, assim simulando qualquer instrumento de sua escolha (Porém também podemos sequenciar o midi já com o VSTi aplicado).

Mas mesmo que a capacidade de armazenamento em jogos atuais seja muito superior ao que tinhamos antes, não é viável o compositor criar canções de 20 minutos e aplicá-lo no game com uma qualidade extremamente alta, nesse caso metade da mídia seria destinada á trilha sonora.
Não vamos abusar dos recursos hehehe.

Confira mais um pouco o funcionamento de VSTi's:

Edirol Orchestral (VSTi com instrumentos de orquestra)


EWQL Symphonic Orchestra (VSTi com instrumentos de orquestra)


EWQL Symphonic Choirs (VSTi simulador de vozes)


EZ Drummer/Drumkit from Hell (VSTi simulador de bateria/percussão)




Bônus!
Confira como soariam hoje, músicas de games antigos, originalmente com trilha sonora em midi!

Sonic, the Hedgehog:



Espero que tenham gostado desse novo post tendo trilhas sonoras como tema.
Até a próxima!