terça-feira, 27 de novembro de 2012

Q&A: Nervosismo antes do primeiro show

Fala johnny blza? acompanho seu blog a um bom tempo e quero te parabenizar pelas suas materias, sao mto boas! eu toco guitarra e tenho um show marcado pra janeiro, sei que ainda está longe mas é o meu primeiro show, estou super ansioso e com certo frio na barriga, tem alguma dica pra me dar? o baixista da banda é o mais experiente e me da algumas dicas, mas queria algumas dicas suas se nao for pedir demais! - José Augusto

O primeiro show, o sonho de muitos iniciantes, porém, o nervosismo da grande maioria ao se aproximar do momento derradeiro.

A primeira dica é óbvia, e aposto que muitos já lhe deram esta dica: Relaxe! Fique calmo, ficar nervoso não te ajuda em nada, muito pelo contrário, pode te atrapalhar mesmo que você esteja totalmente preparado para a apresentação.

Antes da apresentação, lembre-se de se aquecer, toque algumas escalas na guitarra, músicas que fazem parte de seu repertório, principalmente as que você tenha certa dificuldade, ou as que acha mais difíceis.
Ao subir no palco, lembre-se que você não precisa ficar pensando "Estou tocando para 500 mil pessoas", toque normalmente, como se estivesse em seu quarto ou no estúdio, ensaiando.
Ocupar sua mente com pensamentos inúteis como este farão você perder sua concentração na música, podendo ocasionar em erros feios, portanto, concentre-se somente na música que está tocando.

Você não precisa agir como um Rockstar, pensando que está surpreendendo as menininhas, fazendo isso você poderá estar conseguindo o resultado oposto, pagando mico e fazendo todos pensar: "Nossa, que molequinho convencido". Aja naturalmente.

Algumas dessas dicas podem parecer meio "assustadoras" a princípio, porém, são muito importantes e você poderá se certificar quando tiver mais experiência.

Se você tem uma pergunta e quer que ela seja respondida aqui, mande um e-mail para:
contato.guitarra-e-musica@hotmail.com
Até mais!

quinta-feira, 22 de novembro de 2012

Superação musical

Todos nós passamos por dificuldades, seja na música, no aprendizado, ou mesmo em nossa vida pessoal.
Esta galera provou superar até mesmo os maiores obstáculos com o gosto pela música, vamos ver algumas destas provas de superação:











Assistindo estes vídeos podemos ver o quanto somos fracos durante certos momentos, muitas vezes desistindo de nossos objetivos rápidamente quando nos deparamos com um obstáculo.
Essas pessoas, mesmo com obstáculos maiores que os nossos, foram capazes de ultrapassar esses obstáculos, e assim servirem de inspiração para nós.

...E você aí reclamando porque não consegue fazer pestana, né?

segunda-feira, 24 de setembro de 2012

Q&A: Dicas para se montar uma banda

Estou inaugurando com este post a série Q&A (Questions & Answers, ou em português: Perguntas e respostas). Deixei o e-mail de contato do blog em um dos posts, e recebi algumas mensagens, então decidi tirar algumas dúvidas por aqui.
Vamos inaugurar com uma pergunta muito comum:

Oi Johnny, meu nome é Julio e tenho 17 anos e to montando uma banda com meus amigos, tem umas dicas pra dar pra gente? é nossa primeira banda e ainda não sabemos mto bem oq fazer. Sou fã do blog, parabens pelo seu trabalho.

Montar uma banda é sempre muito díficil por mil e uma razões, ainda mais sendo a primeira banda, você e seus companheiros não têm experiência ainda, e isso poderá atrapalhar vocês logo no começo, talvez fazendo as escolhas erradas, mas isso é mais do que normal, e como dizem: É errando que se aprende.
A maioria das pessoas acham que para montar uma banda só é preciso arranjar umas duas ou três pessoas, e se juntar para tocar pelo menos umas duas vezes por mês. Se fosse fácil assim ninguém mais trabalhava, todos montariam uma banda.

A primeira pergunta que você deve responder é: Estou montando uma banda por diversão/hobby, ou porque quero trabalhar profissionalmente como músico?

Se sua resposta for a segunda opção, saiba que não é um caminho fácil de se conquistar, e este caminho exige muito mais responsabilidade.

São vários problemas que se deve levar em conta, muitas vezes é difícil encontrar integrantes que tenham o mesmo tempo livre que o seu, seja pela escola/faculdade, ou muitas vezes por trabalhos, o que consequentemente, tornará muito difícil coincidir uma folga entre os integrantes para se fazer um ensaio, ou até mesmo apresentações.

Agora temos outro erro muito comum entre os jovens, principalmente entre os iniciantes da música, é o Estrelismo (Também conhecida como "Síndrome de Axl Rose"). Este problema é aquele cara que só começou a tentar tocar um instrumento, ou fingir que canta para tentar comer as menininhas da escola, se acha o dono da banda e de seus integrantes, só ele está certo em suas decisões, e quem pensar do contrário é porque está querendo briga.
Se sua banda tem alguém assim, prepare-se pro fim, pois ele com certeza será o fim da banda.
Como muitos músicos dizem, uma banda é como se fosse um casamento, todos os integrantes precisam trabalhar em conjunto para chegar juntos em algum lugar.

Outro obstáculo é encontrar pessoas que invistam tanto na banda quanto você. Muitas vezes (E eu digo muitas mesmo) você irá lidar com pessoas que não vão estar nem aí pra banda, não será responsável com suas obrigações (Como não tirar uma música, ou não comparecer a um ensaio porque precisa jogar World of Warcraft ou Diablo III).

É preciso ter visão e organização para empreender em uma banda, por exemplo, procure ensaiar frequentemente em dias e horários pré-definidos. Por exemplo, combinem de todo sábado ensaiarem juntos em um estúdio. Para complementar, procurem não ir ao estúdio sem saber o que vão fazer, tenham já tudo preparado, com o "ensaio ensaiado", combinem antes, que músicas vão tocar, o que vão fazer, etc.

Procure não tirar músicas fora do nível dos integrantes da banda, procurem começar sempre por músicas mais fáceis, mesmo que os integrantes toquem bem, isso porque, além das músicas serem mais fáceis de serem executadas, vocês conseguirão dominá-las em muito menos tempo, conforme tiverem bastante músicas no repertório, vão tirando músicas mais complicadas e difíceis, pois embora tomem mais tempo para serem tiradas com maestria, vocês já terão várias músicas prontas no repertório de vocês.
Esta estratégia ajuda até mesmo para marcar as primeiras apresentações, ajudando também a conseguir seus primeiros contatos profissionais.

Espero que esta resposta seja útil para você, e também para muitas outras pessoas,
qualquer dúvida escreva um comentário.
Caso tenha uma pergunta, mande um e-mail para: contato.guitarra-e-musica@hotmail.com
Até a próxima!

domingo, 8 de julho de 2012

O poder dos sons

Cada nota possui sua frequência sonora, como um A4 (O lá acima do Dó central) que possui 440hz.
Mas no mundo da física, uma frequência sonora é muito mais que notas musicais.

O som nada mais é que vibrações na pressão do ar, existem vibrações em diversas frequências, denominadas hertz. Basicamente uma vibração lenta, produz um som mais grave, e uma vibração mais rápida, produz um som mais agudo.

O ser humano é capaz de escutar frequências entre 20hz e 20.000hz (ou 20khz). Porém, existem outras frequências, que nós não conseguimos identificar. Frequências acima de 20.000hz são chamadas de ultra-som, enquanto frequências abaixo de 20hz, são chamadas de infra-som.

Os diferentes animais possuem uma faixa de frequências diferentes, reconhecendo sons que seria impossível a um ser humano, como segue a lista:

Gatos: 10hz a 60.000 Hz
Cães: 15hz a 50.000 Hz
Morcegos: 10.000hz a 120.000 Hz
Golfinhos: 10.000hz a 240.000 Hz

Alguns animais são capazes até mesmo de "prever o tempo", isto porque, fenômenos como a chuva, o vento, e até mesmo as ondas do mar, produzem sons que humanos não são capazes de escutar.
Não só capazes de escutar frequências que nós humanos não somos capazes, alguns animais também, por possuirem uma capacidade auditiva mais ampla, usam as frequências sonoras para se comunicar entre si, se guiar, e evitar predadores.

Caso nós fossemos capaz de escutarmos infra-sons, seríamos capazes até mesmo de escutar os músculos de nosso corpo trabalhando.

Imagem ultra-som
Sabendo disso, o homem consegue usar este conhecimento a seu favor, por exemplo: Com máquinas de ultra-sonografia, que permitem visualizar orgãos do corpo humano de modo não invasivo em imagens seccionais e tridimensionais, através do eco produzido pela frequência sonora no corpo do paciente.

O sonar, antigamente utilizado para localização de submarinos inimigos durante a guerra, que acoplado à um receptor, emite ondas ultra-sônicas que se propaga pelas águas, reflete no fundo do oceano e nos objetos (submarinos ou peixes), e retorna ao receptor com informações como profundidade do oceano, e a localização de objetos.

Até mesmo crianças começaram a tirar proveito de sons de alta frequência. O Mosquitone também conhecido como "Zumbitone" é uma freqência de 14,4khz que alunos começaram a usar como toque de celular. Esta frequência é inaudível para adultos, que perdem parte da percepção sonora ao atingir certa idade. Então, a "utilidade" deste som, seria de poder usar o aparelho celular e trocar mensagens sem que fossem pegos pelo professor. Originalmente, o Mosquitone foi uma frequência de 17khz desenvolvido para controlar adolescentes, funcionando como um tipo de sirene para dispersá-los.

O ultra-som é até mesmo utilizado para adestramento de cães, ensinando-os a ter certos comportamentos ao ouvir o som de um apito ultra-sônico.

Infrassons, ao contrário de outras frequências, são pouco sujeitas à perturbações ou interferências quando se propaga pelo ar, portanto, uma frequência sonora muito mais poderosa.
Um elefante pode produzir frequências infra-sônicas que podem ser detectadas a uma distância de até 2km.
Já o rugido de um tigre possui uma frequência infra-sônica capaz de paralisar suas presas.
Uma frequência infra-sônica é tão poderosa que pode até mesmo destruir contruções e estourar orgãos humanos, com este conhecimento, buscam produzir armas de guerra utilizando de ondas infra-sônicas.


A voz humana: O Primeiro instrumento musical
De modo simples, podemos dizer que um instrumento musical é qualquer coisa capaz de gerar diversas frequências sonoras, ou, como nós músicos conhecemos: Notas musicais.
Cada pessoa possui um registro vocal dependendo de sua voz, podendo ser:

Baixo: 80 a 365 Hz
Barítono: 100 a 450 Hz
Tenor: 140 a 540 Hz
Contralto: 180 a 730 Hz
Soprano: 270 a 1230 Hz

Uma pessoa com registro vocal Baixo, possui voz grave, já uma Soprano, possui uma voz alta e aguda.
Segue uma lista da média de frequências produzida por seres-humanos:

Homens: 105 Hz (Lá 1)
Mulheres: 213 Hz (Lá 2)
Crianças: 290 Hz (Ré 3)
Bebês: 449 Hz (Lá 3)


A Velocidade do som
O som possui uma velocidade de 340,29 m/s ou 1224 Km/h (Podendo variar, dependendo do material de propagação):
Borracha: 54 m/s
Água: 1.400 m/s
Ferro: 5.100 m/s
Granito: 6.000 m/s
Aço: 5.900 m/s

Avião atingindo velocidade super-sônica
Quando um avião atinge uma velocidade superior à velocidade do som, este quebra a barreira do som criando um estrondo sônico (Sonic boom), como vemos na imagem ao lado.

O cone branco é formado por gotículas de água condensada, devido à súbita queda de pressão em regiões ao redor da aeronave.

Isso acontece porque, um som, em geral, se propaga para todos os lados, conforme a aeronave vai aumentando sua velocidade, a área de propagação do som vai alterando, se propagando mais para trás da aeronave, que já começa a alcançar a velocidade do som. Quando a aeronave alcança e ultrapassa a velocidade do som, as ondas sonoras não conseguem se propagar para frente da aeronave, já que ela é mais rápida que o som. Ao atingir e ultrapassar esta velocidade, acontece então o efeito da imagem.

Não somente algumas aeronaves são capazes de ultrapassar a velocidade do som, os projéteis de algumas armas saem do cano da arma a uma velocidade superior à velocidade do som, criando por uma fração de segundo o estrondo sônico, mesmo efeito conseguido por algumas aeronaves ao alcançar a velocidade do som. O som que escutamos ao estalar um chicote também é um mini estrondo sônico.


A potência dos sons
O Decibél é uma medida física do som, com ela medimos a potência de um som, em outras palavras, seu volume. O decibél começou a ser utilizado como medição da potência do som pois os Watts possuem uma ampla faixa de variação, por exemplo:

Murmúrio: 0.000.000.001 watt
Grito: 0.001 watt
Orquestra sinfônica: 10 watts
Avião a jato: 100.000 watts

Sendo assim, uma escala logarítmica, como o decibél, é mais adequada para medida dessas grandezas físicas.

Como já diz o título da postagem, as frequências sonoras são realmente poderosas, e assim como já lemos que uma frequência infrassônica pode nos matar, Frequências que sofrem muita amplificação na pressão do ar, ou seja, sons em volume muito alto, não só podem nos fazer perder a audição, como também pode nos matar.

135 dB: Você tem a sensação de que o ar está mais frio;
140 dB: Garganta e cordas vocais passam a vibrar;
142 dB: Seu peito começa a dar golpes de forma intensa;
148 dB: As vibrações começam a ficar desconfortáveis e até mesmo doloridas;
150 dB: Você experiencia uma horrível sensação de esmagamento, como se estivesse no fundo do mar;
155 dB: A compressão e expansão das vibrações podem ser sentida no coração;
158 dB: A vibração fica violenta e causa náuseas intensas; 
165 dB: A cera de seus ouvidos são derretidas.
190 dB: Os tímpanos são rompidos;
198 dB: Morte causada por som (onda de choque).

Para que você tenha uma idéia melhor, confira a lista:

Silêncio: 0dB
Sussurro: 15dBs
Geladeira: 40dBs
Conversa: 60dBs
Secador de cabelo: 70dBs
Despertador: 80dBs
Metrô: 90dBs
Buzina: 110dBs
Shows de Rock: 120 -130dBs
Tiro: 140dBs
Ônibus espacial: 150dBs
Foguete: 180dBs

Na escala de decibéis, um som que é duas vezes mais poderoso possui somente 3dBs a mais, ou seja, isso significa que uma potência de 90dBs é quatro vezes a potência de 84dBs.

Isto é apenas o começo, mas só este pequeno texto já serviu para exemplificar o poder dos sons.
Espero que tenham gostado, até a próxima!

quinta-feira, 17 de maio de 2012

Música clássica beneficia cirurgias

Cirurgiões acreditam que tocar música clássica beneficia a recuperação de pacientes que sofreram alguma cirurgia.
Durante o estudo realizado, os pacientes escutaram as obras mais relaxantes de Beethoven e Bach.
Para os que preferiam um tipo de som Easy listening, os cirurgiões também tinham à disposição canções de Frank Sinatra.

O estudo foi conduzido por Hazim Sadideen, um cirurgião plástico do hospital John Radcliffe, em Oxford. Segundo Sadideen: "Passar por uma cirurgia pode ser uma experiência estressante aos pacientes, e encontrar modos de deixá-los mais confortáveis deve ser nosso objetivo como cirurgiões". - Além de outros motivos, pacientes mais calmos lidam melhor com a dor, e se recuperam mais rápidamente.

"Este estudo em pequena escala é a primeira tentativa feita para medir o impacto que a música tem neste pequeno grupo de pacientes, e visa a necessidade de um maior centro de pesquisas para estabelecer se isso deve ou nao se tornar uma prática padrão"

No estudo, 96 pacientes que participaram de pequenas cirurgias de rotina, foram aleatóriamente designados a escutar música clássica, ou passar sua cirurgia em silêncio. Todos estavam acordados durante o procedimento, que incluem retirada de lesões da pele e limpeza de feridas após acidentes.
Os pacientes que passaram sua cirurgia escutando música, demonstraram baixa ansiedade e uma menor taxa de respiração que os outros pacientes.

sexta-feira, 27 de abril de 2012

Ter aulas de música aumenta o Q.I.

Um estudo realizado na Universidade de Toronto, no Canadá, reporta que ter aulas de música deixa a pessoa mais inteligente, aumentando seu Q.I.

A idéia de que estudos musicais deixa as pessoas mais inteligentes recebeu uma atenção considerável de acadêmicos e também da mídia.
O estudo atual foi feito com crianças, em dois tipos diferentes de grupos de estudos, um com alunos que fazem aulas de teclado, e canto, e um segundo grupo de controle, com alunos de teatro, e pessoas que não fazem nenhum tipo de aula artística.

O Q.I foi medido antes e depois dos testes. Comparando o Q.I. de crianças do grupo de controle, o grupo musical exibiu um aumento mais significante da escala de Q.I. (Cerca de 6 e 8 pontos de Q.I.).

O pdf com o estudo pode ser encontrado aqui.

terça-feira, 10 de abril de 2012

Como é feita uma guitarra Fender Stratocaster?

Já se perguntou qual o segredo das famosas guitarras Fender?
Neste curta entitulado de "A Strat is born" (Uma Strato nasce), é mostrado o passo-a-passo na criação de uma guitarra Stratocaster na fábrica da Fender, localizada em Corona, na Califórnia.
Partindo de um simples pedaço de madeira, e se transformando aos poucos em uma das guitarras mais desejadas por músicos.
Confira o vídeo:

quinta-feira, 5 de abril de 2012

Bobinas de Tesla musicais

Para quem não sabe, a Bobina de Tesla é um transformador ressonante capaz de gerar uma tensão altíssima com grande simplicidade de construção, inventado por Nikola Tesla por volta de 1890.
Bobinas de Tesla alcançam 250 kV com relativa facilidade, e algumas chegam a 1,5 MV ou mais.

Mas o que pouca gente sabe, é que uma bobina Tesla, é também um instrumento musical. (?)

Fade to Black


Sweet home Alabama


House of the rising sun


Nyan Cat Theme


In the hall of the mountain king


Beethoven Virus


Super Mario Bros Theme


Legend of Zelda Theme


Tetris Theme


William Tell Overture


Canon Rock


Parabéns pra você

quarta-feira, 4 de abril de 2012

Roger Waters e o antológico "The Wall - Live"

No último dia 01, o inglês, ex-baixista do Pink Floyd, fundador da banda, guitarrista, letrista, vocalista e compositor Roger Waters, orquestrou um dos maiores espetáculos musicais na terra: o show “The Wall – Live”, no estádio Cícero Pompeu de Toledo (Morumbi), localizado na capital paulista.
Para quem está mais familiarizado sabe que Roger Waters se separou do Pink Floyd em 1985 para seguir carreira solo, e é o detentor dos direitos autorais do álbum The Wall, dentre outros álbuns conceituais da banda (The Dark Side of The Moon, Wish You Were Here e Animals).
Desde 2010 a turnê “The Wall – Live”, realiza um dos mais contemplativos shows de rock do mundo, apresentando o álbum na íntegra com efeitos visuais, sonoros e pirotécnicos.
Waters além de ser um músico altamente perfeccionista, é um ativista nas causas sociais, políticas e ambientalistas; se aprofunda no regimento político, religioso e militar de cada país antes de suas apresentações, e de maneira artística, o músico não se preocupa somente com a perfeição musical de cada apresentação, mas de show para show, de país em país, ressalta os problemas que cada nação vem enfrentando atualmente em termos sociais.

Os presentes neste show do último domingo tiveram a consciência das dimensões deste evento assim que se dirigiam ao estádio, ainda à caminho, a cidade parecia ter sido tomada por apreciadores do rock de diversas parte do Brasil e da América Latina, ouviam-se sotaques e idiomas diferentes, viam-se filas de van de excursão com placas de diversos estados, em cada ponto de ônibus, em cada estação de metrô, notava-se a ansiedade nos rostos de pessoas com camisetas, bandanas e bandeiras da banda Pink Floyd ou do álbum The Wall.
Ao nos aproximarmos do arredores do estádio, constatamos as proporções do evento, filas enormes, milhares e milhares de pessoas à perder de vista, com segurança, organização e uma infraestrutura impecáveis, assim que adentramos na pista 3 horas antes do show, as arquibancadas já estavam praticamente lotadas, e até a hora do início do show, que estava marcado para as 19:30h, não se via mais área desocupada, o estádio lotou com 70 mil cabeças!
Público da arquibancada, foto antes do show.
Contemplar aquele palco enorme durante todo o tempo de espera, contados minutos a minuto, nos levava a um estado de êxtase ao imaginar o que viria pela frente. Ai você que não pôde comparecer ao show, como forma de consolo talvez esteja pensando “deve ter sido igual ao DVD”, mas meu amigo, eu devo lhe dizer, foi MUITO melhor.
Palco, antes do show.
A banda subiu ao palco com somente 15 minutos de atraso, e o show se iniciou após a réplica de um avião de guerra se chocar com o dantesco muro de 137 metros de largura, construído de arquibancada à arquibancada, que provocou uma explosão no palco e após um amostra de fogos de artifício saídos de cima do palco, se inicia a apresentação da banda com a música In The Flesh?, seguida de The Thin Ice e Another Brick In The Wall pt. I o público delirou, dos mais marmanjos às mais ensandecidas fãs, notei algumas lágrimas, eu mesma, não contive algumas, tamanha era a emoção. E meu amigo, se eu tentar encontrar no dicionário as palavras mais dignas para descrever o que foi toda aquela sensação, tenho certeza que será perca de tempo, não existe um verbo, um termo ou um adjetivo para exatificar uma descrição cabível àquele espetáculo (estou arrepiada só ao lembrar).
Assim como na sequência do álbum, veio The Happiest Day Of Our Lives e em seguida a aclamada Another Brick In The Wall, pt. II, com o coro das 70 mil pessoas presentes, além do coral das crianças de um instituto da maior favela paulista, a Heliópolis. Neste momento, um gigante boneco inflável de um monstruoso professor, representando a opressão das escolas e da metodologia de ensino, que vale ressaltar, aqui no Brasil é digna de vergonha; se move pelo canto direito do palco, enchendo olhos e ouvidos de admiração.  
Durante a música "Another Brick in the Wall, pt. II
Fear Builds Walls (o medo constrói paredes), era a frase estampada na camiseta das crianças ao palco. Roger dá uma pausa para conversar com o público, com um discurso ensaiado em português, fala sobre a injustiça opressora no mundo, sobre as vítimas e guerra inocentes, sobre famílias corrompidas, infâncias ceifadas, sobre a crueldade existente aos menos favorecidos, tudo isso resumido em imagens que passavam no enorme muro, ele inclusive falou da injustiça que o mineiro Jean Charles de Menezes sofreu na Inglaterra, ao ser morto após ter sido confundido com um terrorista.

Envolto pela correia de um violão, Roger Waters inicia Mother, e enquanto cantava a parte ”Mother, should I trust the government?” (Mãe, eu devo confiar no governo?) no muro era projetado a frase NEM FUDENDO.
Em Good Bye Blue Sky, outra música emocional, com seu cunho de protesto, o público avistou no muro a projeção de aviões soltando ao invés de bombas, símbolos como cruzes cristãs, a estrela judaica, logomarcas de empresas multinacionais como McDonald's, Shell, Mercedez, dentre outras petrolíferas, empresas essas que sabemos bem, contribuem para o crescimento do mercado capitalista, explorações da natureza, infligindo leis ambientais sem grandes punições.
Durante "Good Bye Blue Sky"
Neste momento, o que parecia ser até então somente o seguimento da linha ideológica deste conceitual álbum do Pink Floyd, é mostrada a visão de Roger Waters sobre o mundo em que vivemos, sobre os efeitos que o dinheiro, o poder e as guerras têm sobre a nossa humanidade. Assistir a isso tudo diante dos olhos, é como levar um tapa na cara de mãos atadas, um incentivo à revolta individual dos presentes que entenderam o real significado das mensagens.
Enquanto víamos diversos fatos, diversas imagens históricas projetadas no imenso muro, tijolos iam se erguendo e fechando-o, até a entrada de Goodbye Cruel World, última faixa do primeiro disco, deste álbum duplo.
Antes do intervalo, final da canção "Goodbye Cruel World".
Após um intervalo de 20 minutos, tempo este em que refleti particularmente sobre tudo o que foi mostrado até então, a primeira música do Disco 2, Hey You, inicia-se, seguida de Is There Anybody Out There? e Nobody Home. Mais duas músicas e chega finalmente a vez de Confortably Numb, em que o público cantou junto efusiva e emocionalmente. Durante a Run Like Hell, um javali inflável enorme é dirigida ao público, com frases escritas à serem vistas por todo o estádio “BRASIL É LAICO” de um lado, e “O NOVO CÓDIGO FLORESTAL VAI MATAR O BRASIL” de outro. 
Javali já esvaziado pela platéia.
Para os desinformado, o novo código florestal foi criado para favorecer os maiores fazendeiros e latifundiários das terras brasileiras, que em suas terras há grande parte das florestas preservadas pelo IBAMA, nascentes de rios, mata atlântica e pantanal, até então defendidas e intocadas pelo órgão responsável por sua conservação. Este javali, antes mesmo de chegar à metade da pista, foi massacrado e se esvaziou.
Roger Waters vestido com representativo uniforme emblemático.

Projeções no muro ainda intacto.
Enquanto isso a banda tocava a frente do muro, até o início de Tear Down The Wall (derrubem o muro), em que ele vem abaixo junto com The Trial. Na última música do segundo álbum, Outside the Wall, Waters e banda vêm à frente dos destroços para finalizar a apresentação. Agradecendo ao público depois dessas mais de 2 horas de show, a plateia numa mescla de cansaço, euforia, extase e exaustão, se retiram das pistas e arquibancadas desta apresentação que não houve pedido de bis, e neste momento é que ouvimos diversos comentários dos mais fãs aos nem tanto, das constatações, e das comparações com o seu show anterior “The Dark Side of The Moon” aqui no Brasil em 2007. 


Essa apresentação, este espetáculo fantástico, sem dúvida ficará marcado na memória de todos aqueles que tiveram o privilégio de presenciar tal evento.
Um sonho realizado aos fãs de Pink Floyd e do multitalentoso músico Roger Waters.

Final do show, banda em agradecimento, destroços do muro ao fundo.
Banda:

Roger Waters – vocal, baixo, violão, trompete
Robbie Wyckoff – vocal
Graham Broad – bateria, percussão
Dave Kilmister – guitarra, banjo
G.E. Smith – guitarra, baixo, bandolim
Snowy White – guitarra
Jon Carin – teclado, violão, guitarra
Harry Waters – órgão, teclado
Jon Joyce – backing vocals
Kipp Lennon – backing vocals
Mark Lennon – backing vocals
Pat Lennon – backing vocals

Set List:
PRIMEIRA PARTE
1 – “In the Flesh?”
2 – “The Thin Ice”
3 – “Another Brick in the Wall – parte 1″
4 – “The Happiest Days of Our Lives”
5 – “Another Brick in the Wall – parte 2″
6 – “Mother”
7 – “Goodbye Blue Sky”
8 – “Empty Spaces”
9 – “What Shall We Do Now?”
10 – “Young Lust”
11 – “One of My Turns”
12 – “Don’t Leave Me Now”
13 – “Another Brick in the Wall – parte 3″
14 – “The Last Few Bricks”
15 – “Goodbye Cruel World”
SEGUNDA PARTE
16 – “Hey You”
17 – “Is There Anybody Out There?”
18 – “Nobody Home”
19 – “Vera”
20 – “Bring the Boys Back Home”
21 – “Comfortably Numb”
22 – “The Show Must Go On”
23 – “In the Flesh”
24 – “Run Like Hell”
25 – “Waiting for the Worms”
26 – “Stop”
27 – “The Trial”
28 – “Outside the Wall”

Imagens por Wagner Pinheiro.

domingo, 25 de março de 2012

Parabéns para vocês!


Leitores do blog, o Johnny-Max escreveu sobre o aniversário do Guitarra & Música, e eu venho fazer o meu adendo como colaboradora do blog.
A contribuição deste blog para o mundo da música e dos músicos no geral (principalmente aos iniciantes e estudantes de música), é algo muito gratificante para nós. Reconhecidos por vocês, nossos leitores, que contribuem não só para o número de visitas, mas para o nosso crescimento, pois escrevemos para vocês e cada post é uma pesquisa, é um aprendizado; a cada curiosidade, dicas técnicas, e diversos assuntos relacionados ao mundo da música e seus variados gêneros musicais, numerosos instrumentos musicais, um sem par de geniais músicos; tudo isso nos faz querer estudar música cada vez mais e mais..
Tudo o que se relaciona ao tema deste blog, nos interessa.

Escrevemos com paixão, pois a troca de informações e a nossa partilha de conteúdo nos dá prazer e é isto que nos fortalece à continuar. Portanto eu e o Johhny-Max agradecemos à todos que nos visitaram um dia e voltaram pelo menos uma única vez para ler esta mensagem.

Continuem todos estudando música, é a força de vontade e o aprendizado que o torna um verdadeiro músico. Tocar um instrumento é aprender constante sobre ele.

O que seríamos sem a música?

Imagem: Google Imagens
Até a data de hoje, o post detentor do maior número de visitas, com 15306 visualizações fala sobre Os diversos Shapes/Modelos de Guitarra

O mais comentado foi o post sobre Palhetas 

Na retrospectiva do blog, Johnny fala sobre os mais curiosos e interessantes posts. 

O aniversário é do blog, mas o nosso verdadeiro presente são vocês, leitores, que acompanham os nossos textos, apreciam e comentam.
Muito obrigado!

E se você tiver dicas de postagens e quiser saber mais sobre determinados assuntos relacionados ao mundo da música e dos instrumentos musicais, mande-nos sua ideia, será muito bem vinda.  

quinta-feira, 22 de março de 2012

Cães músicos

Quem poderia imaginar que um cão bem treinado poderia ter até mesmo capacidades musicais...
Os cães do vídeo a seguir não só reconhecem a canção, como também conseguem reproduzi-la em um piano especialmente feito para ser tocado com suas patas, confira:

sábado, 10 de março de 2012

Música vegetal

Neste blog já vimos a Música de frutas, agora vamos ver a música de vegetais.

Nan Weidong e Nan Weiping são dois irmãos chineses que ficaram famosos por participar de vários programas de TV e shows de talentos tocando instrumentos musicais um tanto inusitados.

Os irmãos tocam instrumentos feitos principalmente a partir de vegetais, tais como cenouras, cebolinhas e flor de lótus, porém eles também vão além de vegetais, e conseguem fazer música até mesmo com tubos de pasta de dente.




Bônus!
Orquestra de música vegetal:

quarta-feira, 7 de março de 2012

Robôs músicos

Um grupo de engenheiros da Universidade de engenharia e ciências aplicadas da Pensilvânia desenvolveram um projeto musical muito interessante: Fazer música a partir de robôs, que controlados por meio de um computador conseguem tocar instrumentos musicais.
Vejam o vídeo dos robôs tocando o tema de 007: James Bond.


Cada robô é programado para percorrer certo trajeto em um certo intervalo de tempo. Cada robô é também responsável por funções específicas, como por exemplo: Um robô é responsável por tocar uma tecla do teclado, outro por tocar a caixa da bateria, etc.

O projeto foi desenvolvido por membros do laboratório GRASP, que estão ajudando cientistas e engenheiros a criar robôs inteligentes, ágeis, rápidos e flexíveis, imitando o comportamento de certos insetos, peixes e aves.

A sala do vídeo está repleta de luzes e cameras infra-vermelhas, que conseguem identificar a posição exata de cada robô, e assim passar as informações programadas de trajeto a cada um deles de forma wireless (sem fio). A programação dos movimentos dos robôs são feitos por meio de waypoints em um espaço 3D, Isto significa que eles são programados para estar em tal posição (em três eixos) em um certo intervalo de tempo.

sábado, 3 de março de 2012

Aprendiz de luthier da periferia de SP utiliza madeira encontrada no lixão para criar violinos


Desde 2009, quando começou a frequentar aulas de luthieria, David Rocha de 20 anos, busca no lixo a madeira para montar seus próprios instrumentos.
Com a madeira que encontra, David já construiu um alaúde, um cavaquinho, um bandolim, uma rabeca e outro violão, barroco. 
David utilizando madeiras velhas para criar seus instrumentos (Fonte: Folha)
O interesse pela música vem desde criança. Determinado a montar um violino só para ele, David encontrou nos móveis descartados um meio para isso.
"Cada madeira que eu encontrava, mostrava para o professor, para saber se servia", conta David. Ele cursa o último ano do ensino médio e hoje é monitor da oficina de luthieria durante a tarde.
Pelo trabalho, ele recebe uma bolsa de R$ 450 da Fundação Tide Setúbal, que promove o curso no Galpão de Cultura e Cidadania de São Miguel Paulista.
Como não segue as rígidas especificações usadas na fabricação do violino, o que David fabrica está mais para uma rabeca-violino.
"Ele obteve um resultado de qualidade muito rápido para quem está começando", elogia Fábio Vanini, professor da oficina de luthieria.
"A vantagem de ele usar as madeiras do lixão é que elas passaram pela prova do tempo, não vão mudar mais suas características", diz o luthier.
Ideias de reciclagem:
O interesse de David por materiais reciclados pode se tornar uma vantagem, já que o ofício sofre com a falta de madeira nacional disponível.
Segundo Vanini, a maioria dos bons violões é feita com jacarandá-da-bahia, que tem o corte proibido. Ou de mogno, difícil de ser encontrado.
Assista ao vídeo:



















Após assistir ao vídeo, Heber Sanches, professor de violino da Fundação Bachiana, quer convidá-lo para ter aulas na fundação:.
"Bacana o som que ele tira do instrumento. E tem muito luthier que adoraria tê-lo como aprendiz".
Fonte: Folha

Que grande inspiração! Sinto enorme emoção ao ver um jovem tão dedicado, que aparentemente tem pouca instrução e de origem humilde, se dedicando ao complexo mundo da luthieria. Se em apenas 3 anos eles já adquiriu conhecimento e capacidade para desenvolver instrumentos funcionais, prevejo um grande futuro para este rapaz. Dou os meus parabéns! E que ele se torne um grande músico e possa enfim, realizar seu sonho de tocar na Sala São Paulo como um grande instrumentista.
Nós que conhecemos bem a realidade do Brasil sabemos que nada mais do que muita força de vontade pode levar alguém a se tornar um mestre luthier e músico, já que vergonhosamente desprovemos de um plano governamental de incentivo à cultura e música de qualidade.
Boa sorte David!

terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

Pesquisadores usam imagens de Raio-X para reconstruir Stradivarius pela primeira vez


Descoberta pode abrir caminho para cópias fiéis mais baratas e ajudar os músicos que sempre quiseram tocar e estudar um Stradivarius original.
Mil imagens de raio-x foram utilizadas para reconstruir modelo em 3-D.
Existem somente 650 violinos Stradivarius originais no mundo.
As réplicas dos originais ajudarão a reconhecer as cópias falsas existentes.

Uma réplica exata de um violino Stradivarius de 1704, que utiliza imagens de raios-X
Este estudo da Sociedade de Radiologia da América do Norte que levou dois anos para ser desenvolvida, vai tentar desvendar o porquê da fascinação pelos modelos de violino Stradivarius a partir de tomografias computadorizadas utilizando raios X. A equipe “fotografou” a peça cerca de mil vezes para obter cada detalhe do instrumento sem causar nenhum dano ou desmontar o objeto.

O violino original - armazenado na Biblioteca do Congresso dos EUA - ao lado da réplica, esculpida por computador
Um violino de 1704 foi então reconstruído usando ferramentas da máquina computer-aided.
O resultado foi a criação de um modelo em 3D (e posteriormente em madeira) que é uma réplica perfeita dos originais. Fora estudar o método da fabricação e o funcionamento do modelo, será possível utilizar o protótipo digital como base para reconhecer cópias falsas do instrumento.
Assim que este estudo for concluído, futuramente algumas das réplicas serão disponíveis no mercado para os estudantes de grandes escolas de música do mundo.

Um Stradivarius original vendido num leilão recentemente custou 15,9 milhões de dólares!

Antonio Stradivari, um italiano que viveu de 1644-1737, é considerado o maior fabricante da história do violino. Dos cerca de 1.000 violinos que Stradivari fez, somente 650 ainda existem e são muito apreciados por sua qualidade de som única. Existem muitas teorias mas nenhuma explicação simples para a superioridade do Stradivarius. Alguns acreditam que é simplesmente a madeira que Stradivari utilizou.
Muitos fatores influenciam o som de um violino - a partir das qualidades da madeira com a forma do instrumento, o grau de arqueamento e espessura da madeira. 

CNC equipamentos esculpe modelos 3D ultra-precisos dos scans - e pode produzir uma réplica quase perfeita com base em exames de um objeto original. Mesmo assim, a réplica foi concluída com a mão.
Fonte: Daily Mail

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

Pentagrama e Endecagrama

pentagrama (Do grego: Penta=5 Grama=Espaço), ou pauta musical, é um conjunto de 5 linhas e 4 espaços onde as notas e seus tempos são grafadas, como explicado na imagem a seguir:








Uma partitura pode ser escrita em uma partitura com claves de Sol, Fá e Dó, cada clave possuindo suas diferenças.

Agora vamos falar do Endecagrama.
O endecagrama é um sistema de partituras de 11 linhas e 10 espaços juntando as claves de Sol e Fá.
Este sistema nada mais é que as duas claves com uma linha no meio separando as duas claves, esta linha do meio que as separa é o dó central.










Com a ajuda do sistema Endecagrama fica mais fácil aprender a leitura de ambas as claves (que como já comentado, possui suas diferenças), até mesmo facilitar a leitura de notas mais graves, além do dó central separando ambas as claves, que também é de grande ajuda para quem está começando a ler partituras.

Espero que a dica seja de ajuda à vocês, bons estudos.

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

Surpreendendo a Ciência: Músico com memória de 10s retém conhecimentos musicais intactos

Cientistas creem estar perto de descobrir porquê uma pessoa que sofre de amnésia e perde a memória de quase tudo na sua vida consegue ainda reter conhecimentos musicais.
A resposta pode estar no fato de que as memórias musicais são armazenadas em partes diferentes do cérebro que a de outras memórias.

O maestro britânico Clive Wearing, sete meses
antes do acidente (Foto: Arquivo de família)
Quando o maestro britânico Clive Wearing contraiu uma infecção no cérebro em 1985 - uma encefalite por herpes - ficou com uma capacidade de recordar apenas os eventos ocorridos 10 segundos antes. A infecção danificou uma parte do seu cérebro conhecida como lobo temporal médio.
Embora apresentasse um dos casos mais graves de amnésia conhecido pelos cientistas, a habilidade musical do condutor permaneceu intacta.

Em 2005, um violoncelista (conhecido como PM) que contraiu a mesma doença foi estudado por cientistas num congresso da Sociedade para a Neurociência. Incapaz de recordar as imagens mais simples, PM manteve intacta a sua memória musical.

Segundo o médico que estudou o paciente, Carsten Finke, do Hospital Universitário de Charite, em Berlim, o lobo temporal médio do cérebro, severamente afetado em casos de encefalite por herpes, é "altamente relevante" para a memória de eventos e como, onde e quando eles ocorrem. Entretanto, o médico acredita que são necessárias novas pesquisas para confirmar a hipótese.
O caso levou a equipe a sugerir que as estruturas do cérebro usadas para armazenar memória musical "devem ser o giro temporal superior ou os lobos frontais. O que é realmente novo nesses casos é que mesmo em casos de amnésia densa e grave ainda existem ilhas de memória intactas, a memória musical", afirmou.

A neuropsicóloga Clare Ramsden ressalta que a memória musical é diferente dos outros tipos de memória. "Não é apenas conhecimento, é algo que você faz", define.
A sua entidade, Brain Injures Rehabilitation, voltada para a reabilitação cerebral, concluiu que as atividades musicais envolvem diferentes partes do cérebro. Hoje com 73 anos, Wearing consegue ler partitura e tocar música no piano, e chegou inclusive a reger seu antigo coral.

A esposa de Clive, Deborah, é autora de um livro, “Forever Today” que relata como a vida do casal mudou desde a amnésia do marido. "Mesmo tendo um piano no quarto há 26 anos, ele não sabe disso até que o instrumento seja mostrado para ele", contou Deborah à BBC.
Entretanto, diz, "se você der para ele uma música nova, a visão dele percebe a partitura e ele toca a música no piano, mas sem aprendê-la. Clive não sabe que tocava piano, nem que ainda sabe como tocar."
A esposa diz que, mesmo sem saber, o ex-maestro melhora sua apresentação cada vez que toca uma determinada música, e que ele ainda é capaz de tocar, instintivamente, canções que sabia de cor no passado. "Ele aprendeu 'Messias' de Haendel quando era criança e ainda sabe cantá-la."
Deborah diz que a música "é o único lugar onde podemos estar juntos, porque enquanto a música está tocando ele é completamente si mesmo. Quando a música para, ele volta a cair do abismo. Não sabe nada sobre sua vida. Não sabe nada do que aconteceu com ele em toda sua vida."

Curioso e intrigante, não? A conclusão que chegamos é que a música exerce no individuo um poder único, uma linguagem universal, e movido por instintos e dons musicais, nenhuma perda de memória permanente extrai da mente as melodias, notas e até mesmo as letras das músicas.
Relatos de parentes de outras pessoas que não são musicistas, mas que tiveram a mesma doença, afirmam que o paciente consegue identificar uma música e cantá-la na íntegra, e que esta é a única maneira que elas encontram de se comunicar com o mundo. Isso mostra a importância que a música exerce sobre as nossas vidas.

Fonte: G1

sábado, 28 de janeiro de 2012

Guitarras signature

Já falamos tanto de guitarras diferentes, os diversos shapes/modelos de guitarra, e agora vamos falar de modelos Signature.
Guitarras Signature são guitarras feitas especialmente para um guitarrista, já reparou como alguns guitarristas possuem guitarras um pouco diferentes das convencionais? Ou com algum desenho diferente? Pois é, essas são guitarras signature. Neste post irei listar algumas guitarras signatures mais famosas.

Zakk Wylde

Joe Satriani
Slash


















































BB King (Lucille)

























Jimmy Page






















Buddy Guy


















Yngwie Malmsteen


















Steve Vai's JEM














Paul Gilbert

















Kiko Loureiro



















Chris Broderick




Estes são apenas alguns modelos conhecidos de artistas famosos, muitos utilizam sua própria guitarra signature. Espero que tenham gostado de mais um post, até mais.

segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

Violão: Cordas de aço ou nylon?

Na matéria anterior, falamos sobre: O que escolher: Violão, guitarra ou baixo?
Agora iremos falar sobre que tipo de violão escolher: Cordas de aço ou nylon?

Ambos são violões, o que vai mudar neles são justamente o tipo de encordamento usado.
-Não posso simplesmente colocar um encordamento de aço no meu violão de náilon?
A resposta é: NÃO!

Cada tipo de violão já vem preparado para suportar a tensão de cada encordamento.

Um encordamento de aço, por exemplo, produz uma tensão muito maior no braço e no corpo do instrumento, e colocar cordas de aço em um violão preparado para nylon, irá fazer com que o braço do instrumento seja rapidamente empenado (Fique torto), e que as peças do violão, tais como o nut e o rastilho fiquem rapidamente danificadas, e até mesmo inutilizáveis no futuro.
Na pior das hipóteses, seu cavalete vai sair voando (Sim, acontece).



Então a pergunta a se fazer é: "Que tipo de música irei tocar?"
Vai tocar MPB, Bossa nova, Jazz ou Violão clássico? Compre um violão de nylon.






















Vai tocar Rock ou Sertanojo? Compre um violão de aço.





















Vai tocar Metal? Compre uma guitarra.

-Violão de aço é melhor que violão de nylon?
Não necessáriamente, muitos pensam isso, porém, são instrumentos diferentes também.
Compare um violão de aço de 300 reais, e um violão de nylon que custa 2.000 reais.
Agora faça a comparação inversa, é óbvio que o instrumento mais caro será o melhor em ambas as comparações.
É inútil comparar dois tipos de violões que servem para estilos diferentes, cada violão será melhor pra um estilo de música.

-Existe um violão mais fácil para aprender a tocar?
Sim, o violão de nylon. Isso porque as cordas de náilon não machucam tanto os dedos como as cordas de aço, que irão deixar seus dedos em carne viva no começo.

-Qual é o violão mais aconselhável para quem está começando a tocar?
Sem dúvidas, o violão de nylon.
Além de possuir um lindo timbre natural, o violão de náilon não machuca tanto os dedos do iniciante, o que facilita, e muito, o aprendizado de certas técnicas, como o dedilhado.

Porém, nada impede que a pessoa compre um violão de nylon para aprender, e posteriormente adquira um de aço para tocar Rock ou Sertanejo.

Espero que este post seja de ajuda, e que possa sanar as dúvidas de vocês, quelquer dúvida, escreva um comentário, até a próxima!

quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

O que escolher: Violão, guitarra ou baixo?

Não são poucas as pessoas que se fazem essa pergunta quando entram no mundo da música.
E a resposta, geralmente não é tão simples.

Embora todos sejam instrumentos de corda, cada um possui características diferentes, técnicas diferentes, uma pegada diferente, enfim, é um instrumento diferente. Então, como fazer a escolha certa?
Primeiramente leve em consideração o estilo de música que pretende tocar...
Uma pessoa que deseja tocar Metal não tem motivos para comprar um violão, alguém que deseja tocar MPB, não tem necessidade de uma guitarra, etc.

Porque escolher o violão?
Geralmente o violão é o instrumento mais indicado para se começar a tocar, embora seja um assunto meio "delicado". Na teoria, o violão funciona do mesmo modo que a guitarra, e uma música tocada em um instrumento, pode até ser tocada em outro. Na prática, nem tanto.
Isso porque, o violão, por ser um instrumento acústico, possui suas próprias características.

Se você pretende tocar MPB, folk, ou violão clássico, você não vai precisar de uma guitarra, principalmente no violão clássico, como o próprio nome já diz, é para violão, e você não vai (E nem deve) tocar isso na guitarra.

Muitos aconselham o violão para iniciantes, e com certa razão, pois quem toca violão já estará meio preparado pra guitarra, mas quem toca guitarra terá um pouco mais de dificuldades ao encarar o violão.

O violão não é pra ser tocado somente com batidas e acordes simples, como alguns pensam, confira:
Andy McKee: Drifting





















Edgar Cruz: Bohemian Rhapsody (Queen cover)






















Porque escolher a guitarra?
caso seu estilo seja rock, metal e distorção, é óbvio que a guitarra é o instrumento mais apropriado.
No caso da guitarra e do violão, não importa muito a ordem que deseja começar, o importante é saber tocar os dois.
Embora alguns discordem, não, não é a mesma coisa.

Tenha em mente que nem todo guitarrista é violonista, e nem todo violonista é guitarrista, mas conhecer ambos os instrumentos é de vital importância, caso queira se chamar de músico no futuro.

A guitarra possui suas técnicas características, tais como: Harmônicos artificiais, two hands, e o uso de alavancas. Com seus potenciômetros é possível ajustar o timbre de diversas maneiras, e o uso de pedais/pedaleiras, é capaz de proporcionar infinitas combinações de timbres.

Porque escolher o baixo?
Acompanhada da pergunta: "Baixo é mais fácil que guitarra/violão, certo?"
A resposta é simples: Depende do músico que a pessoa deseja se tornar.
Não há comparações entre baixistas como os dessas bandinhas atuais, que usam 4 notas por música usando palheta, e um baixista no nível de Marcus MillerJaco Pastorius, e Victor Wooten.

Muitas pessoas que não conhecem o baixo (Tais como "baixistas" de bandinhas atuais), pensam que o baixo é só segurar notas avulsas usando uma palheta, pois não é bem assim.
O baixo possui suas próprias técnicas, como slap e pop, caso não conheça a técnica, assista o vídeo:


E para dominar o baixo, é tão demorado e trabalhoso como dominar quaquer outro instrumento, novamente, dependendo do baixista que deseja se tornar, caso seu sonho seja tocar como "baixistas" de bandas atuais, em uma semana você já terá atingido o potencial necessário.

Independente do instrumento que escolher, saiba que não é fácil se tornar um músico (Novamente, um guitarrista, violonista ou baixista é uma coisa... Um músico, é outra coisa).
São anos de estudo e dedicação para se tornar um bom músico, então, boa sorte!

sábado, 14 de janeiro de 2012

Música de frutas

Brasileiro radicado na Alemanha, o então professor de engenharia eletro-estática, Montanaro frequentou festas onde surgiram os embriões da atual cena eletrônica. Influenciado por grandes nomes como Kraftwerk, Nitzer Ebb, Front 242, New Order, Force Legato, Bomb the Bass, Robotiko Rejekto, Liaison Dangereuses and Anthony Rother. Começou a fazer sucesso com seus "home made synths". Em uma festa realizadas na região norte do país conheceu o produtor musical Hudolph Büer, e iniciou um projeto que mudou as bases da cena como a conhecemos.

Passando a ser chamado apenas por Motta, e junto ao seu novo parceiro passou a estudar as propriedades elétricas de diversos tipos de vegetais, que ligados à um software para produção musical, permite transformar os pulsos elétricos que percorrem os vegetais em efeitos sonoros.


O projeto Fruit Loops já é um sucesso mundial. Com a agenda lotada ele promete: "O Brasil será o pioneiro no desenvolvimento dos synths orgânicos, devido a grande diversidade. Aguardem nosso novo projeto".

segunda-feira, 9 de janeiro de 2012

iTar: Guitarra da Apple

O iPad possui em sua loja (App Store) Milhares de aplicativos, e alguns deles possuem seus próprios gadgets, aparelhos que funcionam plugados ao iPad.

Um desses gadgets é o iTar, um braço de guitarra para o usuário aprender a tocar guitarra usando o iPad.
O iTar, além de "guitarra", promete também ser um sintetizador.


A Starr Labs (Desenvolvedora do gadget) tem em mente recursos que vão desde o aprendizado de guitarra, até mesmo gravações, mixagens de áudio, e jams feitas por usuários pela internet, entre outros recursos.

O dispositivo está em pré-venda e custa $199,00 (Não disponível para compras feitas no Brasil).

domingo, 1 de janeiro de 2012

Retrospectiva Guitarra & Música 2011 - Os melhores posts

Chegamos em mais um ano novo no blog Guitarra & Música, e com ele, mais um post retrospectiva.

Piadas de músicos
Embora eu ainda nem tive tempo de adicionar outras "piadas" nesta matéria, o post Piadas de músicos recebeu muitas visitas de pessoas querendo sacanear seus amigos músicos.

Como tirar músicas de ouvido
Muita gente tem dificuldades em tirar uma música de ouvido, e não são somente iniciantes, isso porquê, hoje a maioria só tira músicas por tablaturas, cifras, e claro, o Guitar Pro.
Este post foi feito para ajudar as pessoas que querem aprender a tirar músicas de ouvido.

Easter eggs musicais
"Easter eggs" (Ovos de páscoa) são segredos, ou piadinhas escondidas, e podemos encontra-los em jogos, filmes, programas de computador, e até mesmo na música.
O post Easter eggs musicais faz uma lista desses segredinhos no mundo da música.

Regulagem e ajustes de oitavas (Pontes Floyd Rose)
Regulagem e ajustes de oitavas (Pontes fixas)
Para auxiliar os guitarristas de plantão, preparei uma matéria ensinando como regular sua própria guitarra. São dois posts ensinando a fazer a regulagem e ajuste de oitavas em pontes fixas e flutuantes (Floyd Rose).

Covers toscos e bizarros
Falta de talento? Criatividade? De conhecimento musical? Ou todos juntos?
A realidade é que existem muitas bandas que já são ruins por natureza (Independente do estilo musical, falo da pobreza musical), que ainda nos fazem ter de aturar Covers toscos e bizarros de músicas boas, já conhecidas do povão.

Plágios musicais e o uso de "Samplers"
Neste ano o Angra foi vítima de plágio por um "cantor" de Axé.
Mas o Angra não é a unica banda plagiada, neste post listamos vários Plágios musicais e o uso de "Samplers", que nada mais é que um plágio com nome chique.

Animes musicais
Nesta matéria listamos vários Animes musicais.
Todos envolvendo uma história de um ponto de vista dos próprios músicos/musicistas.
Dentre os animes citados estão: Beck, K-On, Detroit Metal City, entre outros.

A onipresença da música clássica
É impossível negar A onipresença da música clássica, que escutamos em comerciais de TV, filmes, desenhos animados (Como já vimos no post: Música clássica e os desenhos animados), nos elevadores, nas igrejas, e até mesmo nas ruas.
Neste post estão alguns exemplos de músicas clássicas conhecidas por quase todos, mesmo que este não seja fã de música clássica.

A matemática e a música (Donald no país da matemágica)
Acredito que muitos de vocês já saibam, mas a matemática e a música andam de mãos dadas.
Principalmente para quem trabalha com luthieria, onde cada milímetro faz a diferença.
Nesta matéria trago à vocês o curta Donald no país da matemágica, onde aprendemos matemática com o Pato Donald, usando a música como incentivo.

Les Paul completaria 96 anos, e até o Google faz sua homenagem
Falecido no dia 12 de agosto de 2009, Les Paul foi homenageado pelo Google com um doodle em sua página inicial, que permitia o usuário "tocar guitarra".
O doodle não está mais na página inicial, mas você pode encontrr o link nesta outra matéria, onde é mostrado vários videos de usuários tocando guitarra com o doodle: Google Doodle - Les Paul 96 anos

Instrumentos musicais mais caros do mundo
O título é auto-explicativo. Nesta matéria mostro à vocês instrumentos musicais que podem chegar a marca de 18 milhões de dólares, uma pechincha!

Como ler partituras
"Pra que aprender partitura se posso ler tablaturas ou deixar o Guitar Pro me ensinar?".
Bem... De certo modo isso pode até ser verdade, mas como esperar se tornar um bom músico sem aprender a ler partituras? Afinal, uma coisa é saber tocar, tocar bem e saber várias técnicas, outra coisa é ser músico!

Neste post eu dou uma aula ensinando como ler partituras, se sua intenção é se tornar um bom músico, não se esqueça de ler a matéria.

Os diversos shapes/modelos de guitarra
Na retrospectiva do ano passado a matéria: Palhetas, era a mais acessada do blog, contando com cerca de um terço do total de visitas, hoje o post Os diversos shapes/modelos de guitarra já superou essa marca e é agora a matéria mais lida do blog.

Este post (e suas continuações) lista os diversos modelos de guitarras disponíveis, suas histórias e os guitarristas conhecidos que usam tal modelo em gravações e apresentações.
Os diversos shapes/modelos de guitarra (Parte 2)
Os diversos shapes/modelos de guitarra (Parte 3)

Mas se você procura modelos originais e diferentes, não se esqueça de checar a série Guitarras diferentes:
http://guitarra-e-musica.blogspot.com/2010/03/guitarras-diferentes-parte-1.html
http://guitarra-e-musica.blogspot.com/2010/03/guitarras-diferentes-parte-2.html
http://guitarra-e-musica.blogspot.com/2010/03/guitarras-diferentes-parte-3.html
http://guitarra-e-musica.blogspot.com/2010/04/guitarras-diferentes-parte-4.html
http://guitarra-e-musica.blogspot.com/2011/06/guitarras-diferentes-parte-5.html
http://guitarra-e-musica.blogspot.com/2011/06/guitarras-diferentes-parte-6.html

Aplicativos musicais para celulares Android
Hoje boa parte das pessoas já possui seu próprio smartphone, e hoje, um celular não é mais somente um celular, ele pode ser um console portátil para games, GPS, uma camera fotográfica, um afinador de guitarras e violões, um gravador de bolso, etc.
Nesta matéria listo alguns aplicativos essenciais para músicos.

Como funciona a distorção da guitarra
Já se perguntou como funciona a distorção da guitarra que usamos todos os dias?
Nesta matéria você encontrará a resposta.

Clube dos 27: Artistas que morreram aos 27 anos
Provavelmente você já ouviu falar do clube dos 27, neste "clube" participam músicos que faleceram aos 27 anos de idade, e nesta matéria, listo alguns desses músicos, dentre eles: Jimi Hendrix, Kurt Cobain, e Amy Winehouse, falecida dia 23 de julho de 2011.

Blue Notes
Você sabe o que é um blue note? Provavelmente sim, mas sabe como utilizá-lo em suas canções de forma correta? É verdade que não existe uma regra certa a ser seguida, mas isso não significa que você pode usar um blu note de qualquer forma, é preciso saber usá-lo.
Nesta matéria dou algumas dicas para o uso correto do blue note, com alguns vídeos para auxiliar o aprendizado.